Vereador apresenta pedido de cassação do prefeito de Xanxerê

Martins dos Santos mostrou na tribuna do Legislativo um relatório com supostas irregularidades cometidas pelo Executivo

Por Oeste Mais

14/12/2017 10:48 - Atualizado em 14/12/2017 10:48


Prefeito Avelino Menegolla (Foto: Folha Regional)

A sessão da Câmara de Vereadores de Xanxerê foi marcada nesta quarta-feira, dia 13, por um pedido de cassação do prefeito Avelino Menegolla. O pedido foi realizado pelo vereador Wilson Martins dos Santos (PSDB), que apresentou um relatório de supostas irregularidades cometidas pelo prefeito em 2017.

 

O vereador citou que o prefeito não seguiu os alertas emitidos pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e pela Controladoria Interna da Prefeitura, que orientavam o corte de gastos devido à extrapolação do limite prudencial, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

“Infelizmente tivemos de tomar esta atitude por conta de irresponsabilidade da administração municipal, que preferiu ignorar os alertas feitos pela Controladoria Interna e pelo Tribunal de Contas. Foram diversas irregularidades, como a contratação de cargos comissionados em períodos que não podiam acontecer, liberação de licenças, prêmios e projetos que versavam sobre aumento de gastos quando a lei exigia cortes, além de outras irregularidades cometidas pelo chefe do poder Executivo”, disse o vereador, por meio de assessoria de imprensa.

 

“Não estamos aqui para julgar a pessoa, mas sim o administrador. Temos a ciência que o administrador cometeu diversas irregularidades e por isso entramos com o pedido de cassação. Nossa obrigação é fiscalizar e temos feito isso de forma intensa. Hoje estamos tendo problemas com falta de recursos para manter o sistema de saúde, para manter ações básicas do expediente interno da administração municipal, para manter os salários dos servidores, além de outras tantas situações”, acrescentou Wilson.

 

O pedido de cassação por improbidade administrativa tem centenas de páginas e ainda deverá ser apreciado pela mesa diretora da Câmara de Vereadores de Xanxerê e colocado em apreciação pelo plenário. A previsão é que isso aconteça na primeira sessão ordinária de fevereiro de 2018. “Sabemos que contamos com a minoria na Câmara de Vereadores, mas entendemos que todos os vereadores que estão no Legislativo são pessoas esclarecidas e têm por obrigação distinguir os atos certos e errados do chefe do poder Executivo. Esperamos, que na análise do caso, os vereadores entendam que a atitude foi acertada e que o processo precisa dar prosseguimento”, finalizou o vereador.

 

O prefeito Avelino Menegolla ainda não se manifestou sobre o caso. A assessoria de imprensa da Prefeitura também não tinha emitido nota até a publicação desta notícia.

Com informações do Lance Notícias


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.