Deputado catarinense se posiciona contra o financiamento público de campanha

Jorginho Mello, do PR, afirmou ser contra o financiamento público e ao "distritão"

Por Oeste Mais

11/08/2017 15:35 - Atualizado em 11/08/2017 15:35


Previsão é de R$ 3,6 bilhões ao financiamento público de campanhas (Foto: Divulgação)

Em meio às discussões sobre a reforma política, o deputado federal afirmou que é contra o financiamento público de campanha e ao sistema "distritão", que prevê o voto majoritário para candidatos do Legislativo - deputados federais, estaduais e vereadores. “Não há menores condições morais de o Congresso aprovar essas medidas”, exaltou o deputado.

 

O fundo público prevê que seja destinado R$ 3,6 bilhões para o financiamento das campanhas eleitorais. “Dinheiro público é para investir em saúde e educação, não em campanhas eleitorais”, reagiu Jorginho Mello.

 

Segundo o parlamentar, o sistema eleitoral proporcional tem que evoluir para um modelo distrital misto. “O distritão é caminhar de ré e nós precisamos modernizar. A maior das reformas seria acabar com a coligação na eleição proporcional. Não pode mais fazer aquela junção de partidos, cada um deveria fazer a sua nominata. Isso reduziria o número de partidos”, afirmou. 

 

No modelo proposto, vencem os candidatos mais votados, sem levar em consideração os votos recebidos pelo partido. Se o "distritão" for aprovado nos plenários estadual e federal, a mudança pode valer já para as próximas eleições.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.