Chapecoense emociona por onde passa e crava sua bandeira no mundo

Por Marcelo Perosin Vieira

11/08/2017 10:05 - Atualizado em 11/08/2017 10:07


Fatos históricos são aqueles que marcam a vida das pessoas ao ponto de não serem mais esquecidos. A chegada do homem à lua talvez seja o maior de todos até hoje na humanidade. São marcas que o tempo não apaga e ficam eternizadas nos livros de história. É mais ou menos isso o que a Chapecoense está fazendo, está definitivamente cravando sua marca, sua bandeira, no mundo esportivo. Guardadas as devidas proporções, essa é a chegada da Chape à lua. Fato inimaginável há algum tempo, pensar um dia em disputar uma partida contra o Barcelona de Messi, estar na França disputando jogos com clubes da grandeza de um Lyon, bem como disputar decisões como a da Copa Suruga na terça-feira, dia 15, contra o Urawa Red Diamonds, jogo que será na cidade de Saitama no Japão.

Chapecoense enfrentou o Barcelona em partida histórica (Foto: Alex Caparros/Getty Images)

O único fato a lamentar é que essa fama mundial ocorre pelo triste episódio da tragédia. Mas quero crer que a Chape conseguiria isso também, caso o acidente não tivesse ocorrido, só que de uma forma mais lenta. O clube já estava se consolidando na Série A do Campeonato Brasileiro, disputava a final da Copa Sul-Americana, e já tinha uma projeção em nível das Américas pelo menos.

 

Ressaca

 

Espero que toda essa festa não seja “coroada” com um rebaixamento no final do ano. Afinal de contas, no Brasileirão o time anda capenga, beijando a zona do rebaixamento, e sem mostrar pelo menos um futebol que dê esperanças ao torcedor. Por isso um alerta se faz necessário, que a ressaca de toda essa festa não seja uma queda para a Série B do ano que vem. Passados os festejos e homenagens, que o foco seja realmente reencontrar o bom futebol e lutar, mas lutar muito para não cair, pois o abismo está a apenas três passos.

 

Internacional

 

O colorado navega em águas calmas essa semana. Com um período considerado ótimo sem jogos para treinar, Guto Ferreira tenta implantar no grupo o seu estilo de jogo, dando um padrão para o time. Após as três vitórias seguidas, o Inter finca o pé no G4, e agora começa o returno com muito mais tranquilidade, podendo já mirar a liderança da Série B sem maiores problemas. O Inter joga neste sábado contra o Londrina, no Beira-Rio, às 16h30. Um bom público é esperado pela direção colorada para esse jogo.

 

Catarinenses

 

Dos times catarinenses, o Criciúma é o que está melhor na segundona, venceu fora de casa o Santa Cruz, no Recife, na última terça-feira, e está em sexto lugar na tabela da Série B. Já o Figueirense joga neste sábado em casa contra o Goiás, e mesmo com a vitória não sai da zona do rebaixamento à Série C.


Marcelo Perosin Vieira

Trabalhou como repórter e radialista por 25 anos, desde 1990. Atualmente é empresário e acadêmico de Engenharia Civil. Escreve sobre esporte para o Oeste Mais, em especial, Chape, Grêmio e Inter.

marvips@gmail.com

13/12/2017

O sol nasce para todos

Jaime Folle

08/12/2017

Mitos e verdades sobre o ovo

Reges Costa

05/12/2017

É tempo de Natal

Jaime Folle

Comentários

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais.
Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.